Legitimação e Instâncias Constitucionais para o gerenciamento dos riscos ambientais no ordenamento jurídico brasileiro
3 de outubro de 2011
Aspectos epistemológicos da ecologização do direito: reflexões sobre a formação de critérios para análise da prova científica
19 de agosto de 2012
Mostrar tudo

Policontexturalidade Jurídica e Estado Ambiental

O presente trabalho apresenta uma descrição acerca das interfaces e acoplamentos havidos entre o Direito e a Política na Sociedade Contemporânea. Diante da noção de “Policontexturalidade”, como critério de investigação da fragmentação do sentido na pós-modernidade, tem-se a possibilidade de confecção de uma interessante análise do Pluralismo Jurídico Transnacional. Acompanhando as “irritações” emanadas dos riscos ambientais produzidos pela Sociedade atual, está o “Estado Ambiental” que é um re-direcionamento da função do Estado como organização política visando a abordagem de seus limites e invenções para a sua manutenção como Ator Social privilegiado. Nesta dinâmica, os novos Direitos são o campo temático onde a Observação Policontextural e a operacionalidade organizacional do Estado estão redefinindo a complexidade do acoplamento entre o Direito e a Política do ponto de vista de um Direito Reflexivo.

• CARVALHO, Délton Winter de; ROCHA, Leonel Severo . “Policontexturalidade Jurídica e Estado Ambiental.” In: Leonel Severo Rocha; Francisco Carlos Duarte. (Org.). Direito Ambiental e Autopoiese. Curitiba: Juruá, 2012, v. , p. 25-46.

Palavras-chave: Sociedade Global, Policontexturalidade, Estado Ambiental, Direito Reflexivo, Riscos Ambientais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *